Skip Navigation LinksFuzileiros > PT > Destaques > CERTIFICAÇÃO OPERACIONAL DO DESTACAMENTO CIMIC MARINHA



CERTIFICAÇÃO OPERACIONAL DO DESTACAMENTO CIMIC MARINHA


Certificação Operacional do DESTACAMENTO CIMIC da MARINHA.

No período de de 16 a 20 de janeiro de 2017 o BF1 organizou e planeou um treino tático em ambiente “livex ” na Escola de Fuzileiros, para certificação do DCIMIC Marinha.



CERTIFICAÇÃO OPERACIONAL DO DESTACAMENTO CIMIC MARINHA


                   

A componente operacional do Sistema de Forças Nacional (SFN) engloba o conjunto de forças, unidades e meios, relacionados entre si, numa perspetiva de emprego operacional integrado. Mantém um dispositivo militar permanente, com um grau de prontidão e sustentação adequados, com capacidade multidisciplinar e de natureza expedicionária.


Neste contexto, encontra-se a Companhia Geral Cimic (CGERCIMIC), uma força conjunta do Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA). Integrando 54 militares dos três ramos, compõe-se pelo Comando, três células de Estado-Maior e três destacamentos – Marinha, Exército, Força Área. A CGERCIMIC foi criada em 2004, como consequência dos compromissos assumidos por Portugal, no âmbito da NATO, para missões de caráter Civil-Military Cooperation”[1] , (CIMIC).

O “Multi-National CIMIC Group” (MNCG)[2]  é a entidade NATO dedicada à condução de operações CIMIC, da qual Portugal faz parte. Localiza-se em Mota de Livenza, Itália[3],  e acolhe a capacidade “Joint Headquarts ” (quartel-general de nível operacional), até ao nível de Brigada (nível tático). Aqui, encontra-se, também, o comando da brigada da qual a CGERCIMIC[4] pertence.

Pelo grau de prontidão da CGERCIMIC e por inerência dos destacamentos, a Marinha atribui a responsabilidade de edificar, certificar e manter os padrões operacionais do Destacamento CIMIC da Marinha (DCIMIC Marinha), ao Corpo de Fuzileiros (CF) mais propriamente ao Batalhão de Fuzileiros n.º 1. Este, por sua vez, sob a tutela do Departamento de Operações (DOP) do CF, organizou/planeou um treino tático em ambiente “livex ”[5] na Escola de Fuzileiros, no período de 16 a 20 de janeiro de 2017, para certificação do DCIMIC Marinha.
                  
O cenário tático compreendeu um cenário que reproduzia uma situação de crise com contornos políticos, económicos, humanitários e de segurança interna degradados, num país Africano “fictício” chamado Setubalex. Enquadrado na cartografia base de Portugal Continental, alterou-se simplesmente a topografia dos centros urbanos.

      


A pedido dos governantes de Setubalex, a ONU emitiu a resolução 2222/2016 e decidiu estabelecer uma administração temporária neste país. Para tal foi projetada  uma força de segurança a “STFOR”, de assistência humanitária, no sentido de fazer face a esta conjuntura geostratégica degradada.

A missão da CGERCIMIC, integrada nesta operação de assistência humanitária, foi a de estabelecer e manter a coordenação e cooperação entre o Comandante da STFOR e os atores civis presentes na área de operações (AOR), a fim de manter atualizado o esclarecimento situacional, no âmbito civil, da área de operações.


Ao DCIMIC da Marinha foi-lhe atribuído a AOR da capital de Setubalex – Barreirociti. Como tarefas principais havia que: montar um centro CIMIC [6] na mata da Machada; e efetuar reuniões, em “PLAY”, com o presidente do município de Barreirociti, com os temas da falta de água potável no município e os danos e incidentes ambientais na mata da Machada, como ponto principal de agenda (reuniões levadas a cabo no edifício da Delegação Marítima do Barreiro que acolhe Associação de Fuzileiros).

      
     

Em complemento, efetuaram-se levantamentos de avaliação de condição de edifícios degradados “Rapid Village Assesment”, com possibilidade de acolher fluxos migratórios de deslocados, levantamentos de projetos de impacto imediato (p.e. grafites no muro da Igreja de Palhais) e aceitação da força.

     



Neste último ponto, são de referir os contatos dos media locais, com as autoridades administrativas das freguesias de Palhais, Coina, Penalva, para divulgação do exercício. Estes procedimentos mostraram-se proveitosos, uma vez que esta aceitação foi publicitada num jornal diário da região .

  


No dia 19 de janeiro de 2017, no período da tarde realizou-se uma ação CIMIC na Escola Jardim Infantil de Vila Chã. Disponibilizou-se a estes alunos e professoras uma sessão de atividades de lazer, com a atuação de duas equipas cinotécnicas da Escola de Fuzileiros. Os alunos deliraram com atuação dos canídeos! Esta atividade CIMIC foi tão marcante, que estes pequenos alunos registaram-na, para memória futura, em trabalhos escolares nos quais agradecem, ao seu jeito, a nossa participação.
 
    

No final, foi oferecido um lanche confecionado pela Escola de Fuzileiros e brindes com logotipo Marinha, a cada um dos cerca de trezentos alunos e professores daquela escola. Toda esta atividade foi acompanhada pelo Serviço de Comunicação, Informação e Relações Públicas (CIRP) da Marinha, que filmou a ação para divulgação.
 
 
 
No último dia do exercício, o incidente criado no cenário foi da necessidade de efetuar uma reunião com as autoridades locais, com ajuda de intérpretes, em inglês, testando a proficiência do uso daquela língua , obrigatória para qualquer elemento CIMIC.
 
 
 
No âmbito do processo de certificação, o destacamento efetuou ainda o aprontamento: sanitário (vacinas, exames médicos, outros…); administrativo (passaporte especial, uniformes…,); todo um conjunto de necessidades indispensáveis para estar pronto para “deployable ”. Está, assim, disponível para emprego operacional no âmbito da CGERCIMIC, designadamente para os exercícios que venham a suceder no âmbito do treino operacional do EMGFA, para o SFN em 2017, ou eventuais missões em que Portugal venha a entender participar no âmbito do MNCG.
 

Corpo de Fuzileiros, Destacamento CIMIC Marinha
 
Eduardo Matias Calvo
CO DCIMIC Marinha
 

link:
Filme Certificação destacamento CIMIC da Marinha

                   --------------------------------------------------------------------------------------
[1] AJP-9, NATO Civil-Military Cooperation (CIMIC) Doctrine, Cooperação Civil Militar, em Português.
[2] Para além de Portugal, participam os seguintes países: Eslovénia, Grécia, Hungria, Itália, Roménia.
[3] http://www.cimicgroup.org/
[4] Os destacamentos da CGERCIMIC, por inerência enquadram-se no nível tático.
[5] “live Exercise”- em português - um exercício envolvendo forças e unidades reais.
[6] Espaço físico, implementado na AOR, que efetua a interface entre o ambiente militar e o ambiente civil, que serve para se efetuar reuniões, receber pessoas, outros…, com funcionamento dentro das horas de expediente.

                   ---------------------------------------------------------------------------------------

CCF
20-02-2017 16:00