Skip Navigation LinksPT > Unidades > Destacamento de Ações Especiais > Historial


Historial
 
Remonta a 1980, tendo como génese o sucesso conseguido com a experimentação
realizada através dos Grupos Especiais de Fuzileiros (GEF)
dos Batalhões de Fuzileiros nº2 e 3, primeiras tentativas levadas a cabo
na Marinha para a criação de pequenos grupos operacionais,
especialmente preparados para a realização de acções de reconhecimento
em profundidade, na retaguarda das linhas inimigas e acções de
contra-terrorismo marítimo.
Porém, só em 1985, através Decreto-Lei N.º 196/85 de 25 de Junho,
se concretizou acriação do Destacamento de Acções Especiais (DAE),
estando organicamente na dependência directa do Comando do Corpo
de Fuzileiros.
No preâmbulo desse documento encontram-se os fundamentos da criação
do DAE,nomeadamente "...a necessidade de colmatar uma particular lacuna de meios no cenário anfíbio
e fazer face às responsabilidades que, no domínio das missões da Marinha, se vêm exigindo ao
Corpo de Fuzileiros da Armada, prevenindo ainda, nesta área, possível solicitação de cooperação operacional
no âmbito da participação militar portuguesa na NATO ".
As missões atribuídas ao DAE foram posteriormente reformuladas pelo Decreto Regulamentar N.º 29/94 de
01 Setembro, onde se destacam as missões no âmbito das Operações Anfíbias, bem como outras acções
no âmbito das Missões da Marinha.
Paralelamente, o General CEMGFA em 1999 identificou o Destacamento de Acções Especiais como uma Unidade de Operações Especiais, decorrendo daí missões específicas.
O DAE participou de forma isolada ou integrado em Forças de Fuzileiros nas seguintes operações:
"COLADEIRA" Bolama em 1990
"CRUZEIRO DO SUL" Angola em 1992
"FORREZ" ex-Zaire em 1997
"CROCODILO" Guiné-Bissau em 1998
"FORREC" Républica Democrática do Congo em 1998
"TARRAFO" Guiné-Bissau em 1999
"INTERFET" Timor-Leste em 1999/2000
"EUFOR RDCongo" República Democrática do Congo em 2006