​​​​​​​​​​Aqui podes descobrir o que precisas para te candidatares a Praça Fuzileiro.

Praça

​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​COMPETÊNCIAS PARA VIDA​

TRABALHO DE EQUIPA

AUTO DISCIPLINA

ROBUSTEZ FÍSICA E PSICOLÓGICA

ATITUDE POSITIVA

CAPACIDADE DE LIDAR SOB PRESSÃO​

Praça Fuzileiro

​O Curso de Formação de Praças Fuzileiros destina-se à formação desde a incorporação até à cerimónia de imposição da boina azul ferrete, momento a partir do qual o militar está pronto para integrar, como operacional, as Unidades e Forças de Fuzileiros, nas mais diversificadas missões operacionais que possam ser atribuídas aos Fuzileiros.

Nos Fuzileiros uma Praça é um militar operacional com funções de execução, sempre pronto e resiliente no cumprimento das diversas missões no âmbito da Projeção de Força, Proteção de Força e Operações Especiais​.
Condições de Admissão

  1. As condições de admissão são publicadas em Diário da República antes de cada concurso, aconselhando-se a sua leitura antes de concorreres;
  2. Realça-se como mera indicação as seguintes condições de admissão:
Condições gerais de admissão

​a. Ter nacionalidade portuguesa;

b. Possuir, no mínimo, 18 anos de idade;

c. Possuir aptidão psicofísica adequada;

d. Não ter sido condenado criminalmente em pena de prisão efetiva;

e. Ter a situação militar regularizada;

f. Possuir como habilitações literárias mínimas o 9.º ano de escolaridade ou equivalente, certificada pelo Ministério da Educação;

g. Ter idade igual ou inferior a 24 anos, na data limite para a formalização da candidatura;

h. Ser titular de avaliação de mérito favorável, relativamente ao período de serviço militar eventualmente prestado.​

​​a. ​​A satisfação dos parâmetros médicos, físicos e psicológicos, cuja aferição é feita de acordo com as “Tabelas Gerais de Inaptidão e Incapacidade para o Serviço nas Forças Armadas” conforme portaria n.º 790/99, de 7 de setembro, na redação que lhe foi dada pelas Portarias n.º 1157/2000, de 7 de dezembro e n.º 1195/2001, de 16 de outubro, e com o Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 39/19, de 11 de setembro, disponível aqui;

b. Não possuir piercings, tatuagens ou outras formas de arte corporal na cabeça, pescoço, mãos e pulsos, bem como cumprir com as demais disposições conforme Despacho do Almirante Chefe do Estado–Maior da Armada n.º 39/17, de 2 de agosto, disponível aqui​.


Processo de Admissão

​​​O processo de admissão divide-se em quatro fases​.

Entrega de Documentos

Para concorrer, ​​​​será necessário entregar os seguintes documentos:

  • Certificado de habilitações literárias passado por estabelecimento de ensino oficial nacional. Caso o documento não seja emitido por estabelecimento de ensino oficial nacional, deve ser acompanhado por um certificado de equivalência do Ministério da Educação;

  • Certidão de Registo Criminal, emitido nos 90 dias anteriores à data de encerramento do concurso;

  • Fotocópia da cédula militar ou declaração de situação militar regularizada;

  • Folha de matrícula ou nota de assentos, respetivamente, para os cidadãos na situação de regime de contrato (RC) ou reserva de disponibilidade (RD) que prestem ou tenham prestado serviço no Exército ou na Força Aérea e informação que ateste a titularidade de avaliação de mérito favorável, relativamente ao período de serviço militar eventualmente prestado no respetivo Ramo;

  • Autorização do Chefe do Estado-Maior, do respetivo ramo, para os candidatos militares a prestarem serviço em regime de voluntariado (RV) ou regime de contrato (RC).

Análises clínicas, efetuadas até 180 dias antes da data de encerramento do concurso, com os seguintes parâmetros: 

  • Hemograma completo com plaquetas;

  • Tempo de Protrombina;

  • Tempo de Tromboplastina parcial ativada (P.T.T.);

  • Grupo Sanguíneo (Sistema ABO e RH);

  • Glicose em Jejum;

  • Ureia;

  • Creatinina;

  • Ionograma;

  • Asparto Aminotransferase (AST ou GOT);

  • Creatino-Quinase (CK);

  • Anticorpos Anti HV1+ HV2;

  • Urina II.

​No dia em que for convocado para prestar provas é necessário apresentar:

  • Originais dos documentos indicados acima;

  • Auto Questionário de Saúde​ (AQS);

  • Eletrocardiograma e Raio-X ao Tórax, com respetivos relatórios;

  • Cartão de cidadão ou bilhete de identidade, cartão de contribuinte e número da segurança social;

  • ​Boletim de vacinas ou equivalente, conforme previsto no plano nacional de vacinação.

​​A avaliação da destreza física visa determinar a aptidão física do candidato para a prestação de serviço militar, considerada a categoria e a classe a que se destina, e processa-se através da realização de diversas provas físicas, conforme apêndice 2 do anexo B ao Despacho do Almirante Chefe do Estado-Maior da Armada n.º 39/19, de 11 de setembro (díponivel aqui​).​

Queres começar a treinar para te preparares para as provas de seleção dos Fuzileiros? Consulta a página Prepara-te​.

​Esta fase tem por objetivo verificar se o candidato apresenta um diagnóstico saudável, adequado ao desempenho da sua futura profissão como militar Fuzileiro da Armada.

​​​​A avaliação da capacidade psicotécnica é avaliada, em cada concurso, por recurso a três dimensões:​

Dimensão Percetivo-cognitiva
Consiste na avaliação de diferentes aptidões percetivo-cognitivas, através de testes psicológicos informatizados, tais como: Aptidão mental geral, aptidão verbal, aptidão numérica, memória, entre outros.

Dimensão Psicomotora
Consiste na avaliação de diferentes aptidões, através de testes psicológicos informatizados, tais como coordenação bimanual, reações de escolha e reações múltiplas e discriminativas. ​

Dimensão da Personalidade e Motivação
Consiste na avaliação de diferentes aptidões, características e competências, realizada através de testes psicológicos informatizados e entrevista psicológica de seleção (que envo​lve aspetos como a assertividade, potencial de liderança, atitudes, comunicação, estabilidade emocional, entre outros).​
Formação Básica Inicial

​​A tua vida militar inicia-se com a Recruta (Formação Básica Inicial) na Escola de Fuzileiros, onde durante 5 semanas (26 dias úteis) viverás imbuído de novas rotinas, novas aprendizagens e sujeito a regras militares.

Desde o primeiro instante passarás a atuar em grupo e a desenvolver o espírito de corpo.

Durante as cinco semanas irás aprender diversas matérias, começando desde logo pelos valores da Marinha e dos Fuzileiros.

Além da prática da atividade física diária, os formadores irão ministrar matérias sobre:

  • A organização e regulamentos da estrutura militar;
  • Como aplicar procedimentos de primeiros socorros;
  • Como marchar (individualmente, em grupo, com e sem arma) de forma sincronizada e coordenada;
  • A utilização em segurança de algum do armamento empregue nos Fuzileiros;
  • O manuseamento e operação dos equipamentos de comunicações.


No final das cinco semanas perceberás claramente que adquiriste um conjunto de competências (pessoais, militares, navais e técnicas), que todas elas agregadas facilitarão o teu percurso pessoal e profissional. 

Este crescimento não é fácil, pois implica camaradagem, resiliência e perseverança para resistir ao cansaço e aos desafios diários. Contudo terás um conjunto de formadores com uma vasta experiência para te ajudar a ultrapassar todos os desafios.

Durante este período experimental, sem vínculo contratual, o teu vencimento é correspondente ao ordenado mínimo nacional.

Depois de ultrapassadas estas cinco semanas com resultados académicos, físicos e disciplinares positivos, viverás um momento ímpar e em família - o teu Juramento de Bandeira.

Este será o momento que garante a tua aptidão para passares para a formação complementar, formação que corresponde ao Curso de Formação de Praça Fuzileiro.​

Formação Complementar

​​​A Formação complementar corresponde ao Curso de Formação de Praças Fuzileiros, que inicia após o fim da recruta, com uma duração aproximada de nove meses (191 dias úteis).

Esta é a formação que efetivamente vai fazer de ti um Fuzileiro, um combatente, e aperfeiçoar os valores e moldar as qualidades, esperando que sejas um Fuzileiro pronto ao Serviço de Portugal e dos portugueses.

Durante este período os alunos mantêm o vencimento do ordenado mínimo nacional e com vínculo contratual.

O curso de formação de praças Fuzileiros está organizado em 4 módulos:

  • Formação Geral Comum;

  • Formação Técnica;

  • Formação Complementar;

  • Estágio nas unidades operacionais.​

Formação Geral Comum e Complementar
Os módulos das formações Geral Comum e Complementar (cerca de 10 semanas) são realizados na Escola de Tecnologias Navais, localizada na Base Naval de Lisboa, destinando-se a dotar todas as praças da Marinha com os conhecimentos e competências necessários para prestar serviço na Marinha, independentemente da especialidade do militar e da unidade onde presta serviço.

A organização temporal destes módulos varia entre edições, pois depende do planeamento interno das unidades de formação.
Entre os diversos conhecimentos adquiridos, destacam-se os seguintes:
  • Cultura e Organização militar naval;
  • Segurança e ambiente;
  • Tecnologias de informação e comunicação;
  • Cibersegurança;
  • Inglês técnico;
  • Operações elementares de navegação.​

​O módulo da formação técnica é o que permite tornares-te um combatente de elite anfíbio e o que materializa a formação específica do Fuzileiro, sendo ministrado na Escola de Fuzileiros.

Divide-se em duas componentes: 

  • Componente técnica (cerca de 15 semanas) tem por objetivo ensinar-te as perícias relacionadas com a técnica individual do combatente, através de aulas teóricas e práticas de:

    • Infantaria de combate – Camuflagem, manuseamento de equipamentos eletrónicos, leitura e orientação terrestre com mapas militares, primeiros socorros e sobrevivência em combate, comunicações táticas, trabalho em equipa e liderança;

    • Armamento e Tiro de combate – Tiro com munição real, parado e em movimento, com técnicas militares; utilizar armamento individual e armas de apoio;

    • Explosivos, minas e armadilhas – Saber identificar, manusear e utilizar em segurança nas ações militares;

    • Treino físico – Provas de grande exigência psicofísica que englobam pista de lodo com obstáculos, pista de destreza, corridas e natação com obstáculos naturais ou equipamento militar;

    • Técnicas de inserção – Realizar técnica de rappel e fast rope como forma e inserção ajustado às operações de combate;

    • Operações e Meios Anfíbios – Manusear o bote de assalto dos Fuzileiros e apreender as técnicas, táticas e procedimentos de operações anfíbias, como a execução de incursões (raids) anfíbias a partir do mar, lagos, rios e estuários, ou operações em águas interiores ou ribeirinhas (como rios e estuários), e ações de abordagem;

    • Técnicas, táticas e procedimentos de operações de combate em terra – como a realização de combate próximo ou dentro de edifícios, emboscadas e ataques, ou defesas de locais sensíveis, e em ambientes contaminados.

  • Componente tática (cerca de 7 semanas) tem por objetivo ensinar-te a aplicar a técnica individual do combatente em diversos exercícios de campo que pretendem simular os cenários operacionais de combate, incluindo forças opositoras, que como Fuzileiro poderás deparar-te.
    O último exercício de campo do curso, cerca de 2 semanas, engloba todas áreas ministradas durante o curso, permitindo certificar a capacidade de atuação dos alunos como futuros fuzileiros num ambiente de multiameaça. Este exercício termina com a marcha emblemática dos Fuzileiros, percorrendo, com o equipamento e armamento, uma distância de aproximadamente 50 quilómetros, terminando na Escola de Fuzileiros.

No final do curso terás concretizado as míticas provas de resistência física e psicológica dos Fuzileiros: pista de lodo, descida do rio Sado a remos no bote de assalto (cerca de 50 quilómetros), e a marcha final de 50 quilómetros com equipamento e armamento após o último exercício de campo.


Terás percorrido a pé mais de 250 quilómetros com 50 Kgs de equipamento, armamento e mochila, remado mais de 100 quilómetros, desembarcado numa praia à noite a partir de um navio da Marinha Portuguesa em alto mar e embarcado em helicóptero, tudo em condições de chuva, frio, calor, cansaço físico e psicológico. Vais estar preparado para operar sob pressão nos mais diversos locais do mundo, desde o Afeganistão a África, nas mais exigentes condições ambientais, físicas e psicológicas, desde deserto a tropical, liderando e trabalhando em equipa.

No final, antes do estágio nas Unidades de Fuzileiros, em cerimónia militar ser‑te-á imposta a Boina Azul Ferrete dos Fuzileiros, passando a integrar esta família com cerca de 400 anos de história.
Por último e não menos importante, o curso termina com um estágio (cerca de 2 semanas) nas diversas Unidades de Fuzileiros, onde irás exercer, sob supervisão, as funções que são inerentes a um Fuzileiro.

Como praça fuzileiro poderás fazer uma carreira profissional na Marinha, desde logo entrando nos quadros permanentes como Praça ou Oficial Fuzileiro.

Candidata-te Aqui aos Fuzileiros

​​Aqui​ podes te candidatar ou saber se existe algum concurso aberto para os Fuzileiros.

Centro de Recrutamento

Praça da Armada, 1350-027 Lisboa


Escola de Fuzileiros

Escola de Fuzileiros, Vale de Zebro, Estrada Nacional 10-3, 2830-412 Coina

Partilhar

Conteúdo